Capa do JogoNem sempre aqueles jogos com caixas enormes e componentes igualmente monstruosos são os que mais agradam ao público em geral.

Red November (uma referência ao filme do submarino Outubro Vermelho) vem justamente para confirmar esta tese ao trazer para nós um jogo agradável, com possibilidade para vários participantes (1 a 8 jogadores) que de forma colaborativa irão se enveredar em um enredo original e cativante assim como seus personagens.Lateral da Caixa

Tendo por game designer o mestre Bruno Faidutti e de Jef Gontier, Red November foi lançado em 2008, e teve uma versão da Silver Line da Fantasy Flight (aquela caixinha pequena) e em 2011 ganhou sua segunda versão. Vamos a descrição do jogo:

Gnomos muito loucos

No jogo, nós somos pequenos gnomos marinheiros trancados em um submarino militar de nome Red November. Este submarino é representado no tabuleiro de forma dividida em 10 compartimentos, desde a sala do capitão onde é possível adquirirmos uma garrafa de vodka, ou ainda a sala de motores ou de misseis. Os jogadores, representados no jogo por miniaturas de gnomos, ficam alocados em um destes compartimentos que são separados entre si por escotilhas.Tabuleiro do Jogo

Em linhas gerais a mecânica do jogo funciona em compasso com uma linha de tempo de 60 minutos contados de forma regressiva, ou seja, a cada ação escolhido por um dos jogadores é diminuído o marcador nesta linha do tempo até que todos os jogadores cheguem a zero, quando então ocorrerá o resgate daqueles que sobreviveram. Os jogadores trabalham de forma colaborativa até porque serão tantos os problemas a serem resolvidos no submarino que será praticamente impossível que apenas um gnomo os resolva completamente.

Entretanto, em determinado momento qualquer jogador poderá “Abandonar seu Camaradas”, quando então seu objetivo será inverso ao dos demais, ou seja, se o submarino for destruído ele ganha e os demais perdem, mas se todos os outros jogadores ganharem ele perde. É uma estratégia diferenciada em jogos colaborativos e acho que trouxe um pouco mais de suspense para a ação que cada jogador irá tomar, lhes dando maior autonomia. Lembra um pouco o papel de traidor de outros jogos colaborativos.

Gnomos

Ordinariamente, os jogadores poderão realizar ações como abrir um escotilha, entrar em uma nova sala, apagar o fogo em um compartimento, drenar a água de uma sala que esteja inundada, resolver problemas no submarino, matar um polvo gigante, usar itens, etc. São vários problemas e opções para os jogadores decidirem.

Verso da Caixa da Segunda Edição

Na medida em que o marcador do tempo passa novos eventos vão ocorrendo e influenciando a estratégia a ser traçada pelos jogadores. Estes eventos vão desde o início de um incêndio em uma sala, até o inínio da contagem regressiva para o lançamento de um míssil ou ainda a turbulência no submarino que reduz a quantidade de itens que cada jogador pode carregar.

O interessante nestas ações que são realizadas pelos jogadores e nos eventos do jogo é que as conseqüências poderão ser positivas ou negativas influenciando outras variáveis do jogo. Por exemplo, quando inicia-se um incêncio em qualquer compartimento o nível de oxigênio no submarino cai exigindo que os jogadores atuem em conjunto para apagar o incêndio e para consertar o equipamento que fornece oxigênio para os tripulantes. Ou ainda, no caso do jogador optar em utilizar o item de bebida (deve ser vodka), ganhará um bônus para consertar qualquer problema no submarino além de criar coragem para entrar em salas com fogo, porém o seu nível de embriagez será elevado e o jogador estará mais apto a desmaiar ficando assim por 10 minutos o que poderá levá-lo à morte.

A resolução da maioria das ações se dá com o lance de um dado (D10) que irá confirmar se houve êxito ou falha no objetivo do jogador. Assim, por exemplo, o jogador escolhe a opção de apagar um incêndio determinando que para tanto irá separar 5 minutos no marcador de tempo, e ainda resolve utilizar uma bebida dando-lhe um bônus de +3. Desse modo o jogador terá que tirar na rolagem de dados um número inferior ou igual a 8 para ter sucesso em sua empreeitada. Há quem diga que esta utilização de dados acaba levando o jogo a ser por demais dependente da sorte, porém, como podemos escolher os tipos de ações que iremos fazer e ainda os itens que iremos utilizar além de determinarmos o tempo a ser gasto para o objetivo proposto, entendo que este fator sorte acaba sendo bem relativizado.

Como a maioria dos jogos cooperativos, existe a possibilidade de se jogar em modo solitário, porém, perde-se muito da diversão em ver seus camaradas desesperados tentando descobrir qual problema resolver primeiro. É um jogo bem interessante para ser apresentado como um gateway, sendo divertido o bastante para atrair não gamer e com uma dose de desafio para quem já se aventura nos mundos dos boardgames, agradando um público bastante amplo, inclusive, crianças (só cuidado para não incentivar os pequenos a usar muito os tiles de vodka).

Componentes

De maneira geral, Red November não é um jogo tão amigável para aqueles que ainda não estão habituados com jogos cooperativos, levando inicialmente o jogador mais eufórico a tentar resolver tudo sozinho prejudicando o sucesso geral. O certo é que com mais jogadores, teremos mais opções para resolver os problemas existentes, mas estes ocorrerão em maior quantidade de forma proporcional ao número de jogadores pois cada jogador inicia um novo evento em momentos específicos do jogo. A rejogabilidade é de certo modo de nível médio pois os eventos existentes ocorrerão de maneira diferente em cada jogo, permitindo que várias estratégias sejam testadas, mas com mais partidas a variação acaba sumindo um pouco.

Itens

Quanto aos seus componentes percebemos que os mesmos tiveram uma certo cuidado para encaixar com o tema do jogo representando a caixa do jogo o próprio submarino com todos os seus gnomos, itens e eventos (representados pelas cartas) guardados de forma bem compacta assim como em um submarino.

Em resumo, mesmo considerando as suas pequenas dimensões, Red November é mais um jogo cooperativo de peso que traz uma temática mais descontraída ao mundo dos jogos de tabuleiro, permitindo que até 8 jogadores possam desenvolver um trabalho em equipe de forma amigável e divertida, porém, tomando cuidado com o consumo exagerado de vodka 😀

 

FICHA DO JOGO

 

Qnt. Jogadores: 1 a 8  jogadores
Idade Recomendada: 10 anos
Duração: 60 – 100 minutos
Game Designer: Bruno Faidutti & Jef Gontier
Ano de Publicação: 2008
Dependência de Idioma: Poucos textos
Mecânicas de Jogo: Cooperativo / Rolagem de Dados / Movimento de Área / Corrida Contra o tempo
Mais informações: https://www.fantasyflightgames.com/en/products/red-november/

Crédito das Imagens: BoardGameGeek